TT Ilha de Man – O circuito de moto mais perigoso do mundo

isle-of-man-02- destacada

Se você alguma vez jogou em um Sega Saturn tenho certeza que se lembrará desse jogo:

Manx TT Superbike

Esse era o game Manx TT Superbike e proporcionava muita diversão por um circuito repleto de perigos. Como a maioria dos jogos da época você poderia bater contra um muro sem maiores problemas, apenas perderia velocidade e a corrida. Mas, a realidade é muito mais emocionante e às vezes trágica.

O jogo era inspirado no TT Ilha de Man que no período de 1907 a 1977 foi o circuito mais perigoso da Copa do Mundo de Motociclismo até ser substituído pelo TT Silverstone. Isso depois do boicote comandado pelo lendário piloto Giacomo Agostini, após a morte de seu amigo Gilberto Parlott em um acidente na competição.

Mas, o TT não acabou. Pelo contrário, tornou-se mítico. Agora só arrisca-se por ele os pilotos mais alucinados. E, nesses mais de cem anos de competição, já morreram cerca 249 pessoas entre pilotos e espectadores, o último foi o piloto Yoshinari Matsushita na edição 2013.

Para se ter uma ideia da periculosidade, o próprio campeão Valetino Rossi já afirmou que o circuito “não é para ele”.

A Ilha de Man, terra natal dos Bee Gees, é uma dependência da coroa britânica e fica entre a Irlanda e o Reino Unido, tem uma legislação própria e dessa forma suas ruas não têm limite de velocidade.

Bandeira da Ilha de Man

Bandeira da Ilha de Man

O circuito possui 60 km entre montanhas e vilarejos. As motos chegam a ultrapassar os 350 km/h! Definitivamente uma corrida para os mais loucos. E esse ano o Brasil teve seu primeiro representante, o piloto Rafael Paschoalin, que declarou em sua fã page após os primeiros treinos:

“Primeiras duas voltas no circuito do TT e a palavra é: PÂNICO!

“Agora posso dizer o que significa o TT Isle of Man e afirmo com segurança que vídeo nenhum do YT explica um pouco do quão louco é isso aqui. A ansiedade de andar de moto é invadida pelo medo. Os dois sentimentos se misturam de uma forma inexplicável e eu acabo me agarrando na descontração de todos que estão aqui me ajudando para ficar menos tenso. É engraçado ver o alívio estampado no rosto de cada um quando completo uma volta. Aqui não interessa se a volta foi mais lenta ou mais rápida, as pessoas ficam realmente felizes quando os pilotos voltam são e salvos para o Grandstand.”

Apesar de todo o perigo, algumas mulheres ousaram e desafiaram a morte pelas curvas da ilha. Inge Stoll foi a primeira em 1954, depois dela Beryl Swain foi a primeira mulher a competir na classe solo como piloto e terminando em 22º lugar, o que causou um problema, foi alegado que o circuito era muito perigoso para mulheres e como consequência, elas foram proibidas de correr na ilha. A proibição durou até 1978 ano em que Hilary Musson competiu.

A lendária Inge Stoll

A lendária Inge Stoll

Bem, não importa o que eu escreva; não conseguirei passar a emoção e a adrenalina que esse circuito representa com palavras, aliás como declarou Rafael Paschoalin, não há vídeo no youtube que explica o quão louco é isso tudo, mas como não somos tão pirados para saber o sentimento verdadeiro que é participar dessa prova, deixo abaixo dois vídeos para que vocês tenham certeza que a maior premiação dessa corrida é retornar vivo.

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone