Resenha Atômica T2E01 – The Seven Deadly Sins – Nanatsu no Taizai

RA-TSDS-destaque

Bombardeado de quadrinhos de heróis, adultos e independentes na minha prateleira, todos americanos ou nacionais, senti recentemente a necessidade de buscar quadrinhos orientais, os ainda tão subestimados Mangás.

Subestimados sim, pois muitos que são do meio editorial, críticos e leitores não classificam os mangás como quadrinhos. Quadrinhos são quadrinhos e mangás são mangás, não se misturam. Dê uma procurada na internet que você encontra muito argumento carregado desse preconceito, e ainda praticado por gente graúda do meio editorial. Porém aqui no Kalango Atômico nós classificamos quadrinhos ocidentais e orientais como parte integrante de um conjunto. SÃO TODOS QUADRINHOS, MINHA GENTE! Então quando tiver uma resenha, crítica ou qualquer coisa do gênero no nosso blog sobre mangá, será classificado como Quadrinhos. Não iremos criar uma nova categoria Mangás para postagem. E CHEGA DE MIMIMI!

Voltando a minha atenção ao que estava sendo publicado aqui no Brasil, e fazendo aquela pesquisa rápida de mangás mais lidos e vendidos do ultimo ano, cheguei a uma pequena lista de quadrinhos orientais para ler. E para cada título adquirido pretendo fazer uma Resenha Atômica dos volumes já lidos. São impressões da trama, narrativa e arte do que foi lançado aqui no Brasil ou, pelo menos, do que foi lido. E não do que está acontecendo na trama atualmente com lançamento no Japão. Afinal, a trama tem que conquistar o leitor desde o inicio. Dificilmente o consumidor persiste no produto se ele não é agradado desde o começo.

O Mangá

Segundo uma lista do site anmtv de mangás mais lidos por série no Japão, ou seja, aqueles que são acompanhados semanalmente, capítulo por capítulo, a obra The Seven Deadly Sins – Nanatsu no Taizai é o primeiro colocado. Isso serviu como base para minha primeira escolha, mas eu não me apego a rankings. O importante mesmo é que a obra tenha uma boa história, personagens carismáticos e uma arte condizente com o conteúdo proposto.

Escrita e desenhada por Nakuba Suzuki, The Seven Deadly Sins (ou Os sete pecados capitais em tradução literal) é um mangá ambientado num mundo de Idade Média, com reis, princesas, cavaleiros, tavernas, magias e etc. Sim, trata-se de um mundo fantástico muito parecido com Fly, Senhor dos Anés, As Crônicas de Gelo e Fogo e por ai, vai. Guardada as devidas proporções, é claro. Aqui no Brasil a Editora JBC é a detentora dos direitos do mangá e já lançou três volumes da série, cobrindo 22 capítulos.

A trama gira em torno da Princesa Elisabeth que descobre que seu Reino está sendo ameaçado pelos cavaleiros que outrora juraram protegê-lo, Os Paladinos. Ela sai à procura de uma ordem de cavaleiros dados como criminosos, conhecidos como Os Sete Pecados Capitais. Eles foram incriminados e acabaram fugindo para evitar a prisão ou o extermínio. Os sete cavaleiros são representantes dos pecados capitais e possuem magias especificas.

the-seven-deadly-sins-Nanatsu-no-Taizai-kalangoatomico

Meliodas Dragon Sin é o cavaleiro da Ira e capitão dos Sete Pecados Capitais. É o primeiro cavaleiro da ordem dos Sete Pecados Capitais a ser encontrado por Elisabeth. Ele possui uma espada quebrada que já pelos primeiros capítulos percebe-se envolta em magia. Acompanhado de um porco falante, Hawk. Dono de uma Taberna itinerante carregada pela porca Mama Hawk. Clássico personagem de ação, despreocupado e parece desatento. Mas não é. Sua aparência de criança dá uma sensação de que o personagem é fraco e indefeso, só que é altamente poderoso e até agora na trama ninguém conseguiu rivalizar com ele. Aliás, mais três pecados capitais são apresentados e eles também são extremamente fortes. O que pode representar um problema na trama, pois até o fim do terceiro volume apareceu só uma possível vilã à altura, a Paladina Gila. O Paladino Gilthunder também foi apresentado, pode ser que seja um bom vilão futuramente na trama, mas analisando os três volumes lidos só deixou aquela dúvida no leitor: será que esse cara é forte? Será que ele se segurou? Perguntas muito frequentes em tramas de ação como Dragon Ball, Naruto, Bleach, etc.

Os outros cavaleiros apresentados são Diane Serpent Sin, o Pecado da Inveja, Uma giganta superforte com magia ligada a terra. Ban Fox Sin, o Pecado da Avareza também muito forte e rivaliza em força com Meliodas. O quarto cavaleiro é apresentado no terceiro volume, King Grizzly Sin, o pecado da Preguiça. Desses cavaleiros apresentados, os mais carismáticos são Meliodas e Ban. Não sei se pelo fato de desenrolarem um pouco mais de ação com eles ou pelo jeito despreocupado dos personagens, até muito clichê.

A história é Massavéio, muita cena de luta overpower, poses, caras e bocas. A objetificação da princesa segue um padrão de histórias de aventura japonesa. E cenas de Meliodas pegando nos seios, pernas e vagina da Elisabeth são exageradas. Algumas chegam a incomodar, pois não fazem sentido na trama.

the-seven-deadly-sins-Nanatsu-no-Taizai-erotico-kalangoatomico

A arte de Nakaba Suzuki é simples, as vezes ele economiza nos cenários. Porém quando ele capricha faz paginas duplas cheias de detalhes e com boas cenas de ação. Quando comprei The Seven Deadly Sins – Nanatsu no Taizai, pensei que a arte seria mais detalhada aos moldes de Kentaro Miura em Bersek, mas chega mais perto da arte de Akira Toriyama em Dragon Ball. O que deixa um pouco a desejar comparando com o universo estabelecido na trama. Opinião muito pessoal aqui, galera. Porém não é a arte que fará com que abandonemos o mangá, basta que a história evolua e melhore. Resumindo, essa obra é para pura diversão, não tem aquela trama de quebrar a cabeça para entender, nada muito filosófico. A história não se leva tão a sério, o que é muito bom por ser uma obra de aventura e ação.

the-seven-deadly-sins-Nanatsu-no-Taizai-Ban-King-kalangoatomico

Avaliações Atômicas

Como o mangá possui uma história basicamente de aventura, apesar de inserida num mundo fantástico, ela pode melhorar. A trama é bem simples, mesmo que comparando com mangás como Naruto e Bleach, e se o autor não complicar a história pode ser bem explorada de forma concisa, sem pontas soltas. Muito comum em séries grandes, vide Dragon Ball e Cavaleiros do Zodiaco. A arte é muito simples para a trama, mas a gente pode encarar como uma estilização do desenhista. Nesses três volumes, fazendo um balanço geral, eu dou 6 Atômicos. Pois a história é boa e pode melhorar com o desenrolar da trama. Muita cena erótica desnecessária, que quebra o ritmo da narrativa. Mas muita calma nessa hora, caro hater. Essa nota é baseada em três volumes. Dependendo do desempenho ela pode aumentar, mas também pode diminuir. Agora é com o mangaká.

Publicado pela JBC, The Seven Deadly Sins de Nakaba Suzuki, já possui três volumes no Brasil e ainda em publicação no Japão em formatode 13,5cm x 20,5cm, com cerca de 190 páginas e preço de R$ 12,90.

the-seven-deadly-sins-Nanatsu-no-Taizai-jbc-oficial-kalangoatomico

Feed do Kalango Atômico

 Feed iTunes

Soundcloud

Contatos

Email: klngatomico@gmail.com

Fanpage

Twitter do Site: @KalangoAtomico

Concorda ou discorda? Curta, comente e compartilhe.

Resenha Atômica T2E01 – The Seven Deadly Sins – Nanatsu no Taizai by Kalangoatômico on Mixcloud

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
  • Jeff Aizen

    Fala galera, sobre Manga diferênte de HQs, eu concordo, pois são tantas as diferenças, começando que o manga tem inicio meio e fim, e o autor tem total liberdade de criação. eu particularmente so curto mangas e poucas HQs, as que fogem desse negocio de heroi

    Sobre Nanatsu no Taizai, eu achei que o cara ai pareceu que so lia, ficaria melhor ele dar a opinião dele, e gravar com mais uma pessoa pelo menos. O anime pucha muito pra uma pegada DBZ, pensei que seria meio Berserk tambem. Falando em Berserk esse é meu manga/anime favorito, estou ancioso esperando o novo OVA do Berserk Golden Age

    PS: Eram vocês que iam nos eventos de anime,, meados de 2010 para tirar fotos ? eu era de um site concorrente e sempre os via la.

    PS2: Continuem com o cast de vocês, pois mandam bem, acompanho vários casts a mais de 10 anos, e cheguei ao de vocês pela indicação do Netão do Psul,o cara da vinheta.. no mais, nada mais,, é nois Ceilândia muita treta.

    • Fala, Jeff.
      Mangá é história em quadrinho no sentido estrito. Agora concordo que geralmente autores de mangás tem mais liberdade criativa, fazendo histórias fechadas. Porém HQ´s independentes ocidentais são obras com liberdade criativa, como gibis dos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá por exemplo. HQ´s de heróis da Marvel e DC são o carro chefe das publicações e vendagem, infelizmente. Mas está figurando muita coisa boa autoral por aí. Assim como no mundo dos Mangás.
      Nós estamos avaliando mudanças no Resenha Atômica. Sua dica foi muito boa, valeu mesmo.
      Já a galera que ia nos eventos de animes tirar fotos são os Calango Alados, então dá pra confundir.
      Netão é mito, gente boa demais. Continue nos prestigiando. Obrigado pelo feedback. Abraço.

  • loke

    POR FAVOR, QUERO A SEGUNDA TEMPORADA DESSE ANIME, PELO INCRIVEL Q PAREÇA É MELHOR DO Q NARUTO

  • Henrique Holanda

    Mangás e HQ’s nunca vão ser a mesma coisa nem que vc queira…