Resenha: O Cavaleiro dos Sete Reinos de George R.R Martin

george_cavaleiro_das_trevas

Sinopse: “Duzentos anos após a Conquista, a dinastia Targaryen vive seu auge. Os Sete Reinos de Westeros atravessam um tempo de relativa paz, nos últimos anos do reinado do Bom Rei Daeron. É neste cenário que Dunk, um menino pobre da Baixada das Pulgas , tem uma chance única: deixar a vida miserável em Porto Real para se tornar escudeiro de um cavaleiro andante. Quando adulto, o cavaleiro morre e Dunk decide tomar seu lugar e fazer fama no torneio de Campina de Vaufreixo. É quando conhece Egg, um menino de dez anos, cabeça totalmente raspada, que é muito mais do que aparenta ser. Dunk aceita Egg como seu escudeiro e, juntos, viajam por Westeros em busca de trabalho e aventuras. Uma grande amizade nasce entre eles – uma amizade pela vida toda, mesmo quando, anos mais tarde, os dois personagens assumem papéis centrais na estrutura de poder dos Sete Reinos. As aventuras de Dunk e Egg trazem para os fãs de As Crônicas de Gelo e Fogo a oportunidade única de vivenciar outro momento da história de Westeros, de conhecer e analisar fatos que teriam desdobramentos noventa anos depois, na guerra dos tronos”.

O Cavaleiro dos Sete Reinos são contos que narram as aventuras de Dunk e Egg por Westeros, 90 anos antes da história principal da Guerra dos Tronos. O livro é dividido em três contos:

O Cavaleiro Andante –  Onde Dunk até então é um escudeiro tirado da Baixada das Pulgas por Sor Alan de Centarbor. E após a morte de seu mestre tornar-se cavaleiro e encontra o garoto careca Egg, partindo assim para o torneio na Campina de Vaufreixo.

A Espada Juramentada – Dunk, agora serve a Sor Eustace Osgrey, um antigo lorde que após aliar-se ao Dragão Negro tem seu poderio reduzido tornando-se senhor de um torre e algumas galinhas. Como se não bastasse precisa enfrentar a casa vizinha liderada pela Viúva Vermelha.

O Cavaleiro Misterioso – É o melhor e mais importante. Possuí uma ótima trama. Nesse conto Dunk, agora Sor Duncan, está a caminho de Winterfell onde pretende oferecer seus serviços ao Senhor Stark contra Dagon Grejoy que tem apavorado as águas westerosis. No caminho, o cavaleiro andante resolve parar em Solarestival para participar de um torneio. Nesse momento a história sofre diversas reviravoltas e Dunk pega-se envolvido em situações que o colocará na história de Westeros.

Dunk não é apenas um cavaleiro andante, é o exemplo vivo de como a cavalaria deveria ser. E como todo personagem muito honrado de George Martin, isso joga-o em confusões que abalam não só sua vida, mas a dos Sete Reinos.

A importância da obra está em trazer para os aficionados fãs uma amostra da história que envolve esse magnífico universo. Dunk começa a história em Vaufreixo, uma cidade da campina vassala de Jardim de Cima.  Ao fim do lendário Torneio de Vaufreixo, Dunk e Egg alcançam o Passo do Príncipe em Dorne e de lá partem para Vaith quase no extremo-sul dornês. Após algum tempo embarcam em um navio chamado Donzela Branca e chegam à Vila Velha da Casa Hightower e lar dos meistres. Como um cavaleiro andante está sempre em marcha, eles partem para Fosso Gelado entrando ainda mais nas terras da Campina, lá jura sua espada a Sor Eustace e encontra a Senhora Rohanne Webber. Após os fatos do “A Espada Juramentada” Dunk e seu escudeiro sai com a intenção de ir para o Norte e acabam parando em Alvasparedes, nas Terras Fluviais dos Tully, para participar do torneio do casamento de Lorde Ambrose Butterwel com a filha de Lorde Frey. Por fim, Sor Ducan foi para Winterfell onde conheceu a Velha-Ama e tornou-se bisavô de Hodor. Não isso não está no livro, é só uma teoria.

Reproduzi essa trajetória de Dunk para que percebam que o livro tem uma grande importância: Demonstrar como era a situação política dos Sete Reinos nessa época uma vez que, Sor Duncan passa praticamente por todo Westeros.

Outro fato importante é que pelo livro você encontrará os antepassados de figuras históricas de As Crônicas de Gelo e Fogo e, personagens que são apenas citados na história “atual” como Briden Rivers citado como Senhor Comandante da Patrulha da Noite por Sam durante seus estudos. E o principal, saberá detalhes sobre a famosa rebelião comandada por Daemon Blackfyre e cairá na segunda.

O livro é leitura obrigatória para todos que já se aventuraram nas Crônicas de Gelo e Fogo, a leitura é bastante tranquila, uma vez que, é toda em terceira pessoas sem diferentes pontos de vistas.

E para que entendam bem o momento histórico da obra recomendo a leitura da história da Rebelião :

house_blackfyre_wallpaper_by_siriuscrane-d5h6ouf

A Rebelião Blackfyre

A casa Blackfyre

Casa Blackfyre é uma casa nobre extinta das Terras da Coroa. A Casa Blackfyre foi uma ramificação da Casa Targaryen, fundada por Daemon Blackfyre, o bastardo legitimizado do Rei Aegon IV Targaryen. A Casa Blackfyre é nomeada por causa da espada do mesmo nome. Seu brasão é um dragão de três cabeças, soprando fogo preto no vermelho. O brasão dos Targaryen tem as cores ao contrárias. Seu lema é desconhecido.

A Rebelião Blackfyre representou a disputa dinástica entre os filhos do rei Aegon, e opôs a Casa Targaryen a novata Casa Blackfyre. Antes de morrer, Aegon IV legitimou todos os seus bastardos, deixando para trás seu filho legítimo na sucessão do Trono de Ferro. Ficaram conhecidos como os Grandes Bastardos aqueles que tinham nascimento elevado: Daemon Blackfyre, Aegor Rivers, Brynden Rivers e Shiera Seastar. Quando, enfim, o rei morreu o filho legítimo Daeron II herdou o trono, mas Daemon Balckfyre reivindicou o seu direito. Mais uma vez, a reivindicação ganhou força por boatos de que Daeron não seria filho legítimo de Aegon, e sim de Aemon Targaryen. Além do mais, o fato da antiga espada Targaryen, a Blackfyre, ter sido entregue a Daemon por Aegon, fazia crer que o rei realmente queria que o filho bastardo herdasse o trono. Depois de anos de tensão acumulada a guerra estourou e o motivo foi a revolta de Daemon (o bastardo) contra seu irmão Daeron porque este entregou a mão da Princesa Daenerys ao Príncipe Maron Martell para firmar a aliança com Dorne. Daeron enviou aGuarda Real para prender o irmão bastardo, mas ele escapou com a ajuda de Sor Quentyn Ball, o mestre-de-armas da Fortaleza Vermelha. Blackfyre reuniu um grande exército para se opôr ao Rei e conseguiu o apoio de Aegor Rivers, o Açamargo, outro dos Grandes Bastardos. Brynden Rivers, o Corvo de Sangue, por sua vez, apoiou Daeron e venceu a política de apaziguamento de Baelor Quebralanças. Daemon começou a cunhar sua própria moeda. O reino dividiu-se entre o ‘dragão vermelho’ e o ‘dragão negro’.

Intensos combates eclodiram durante o ano, ocorrendo principalmente nas Terras Fluviais. Sor Quentyn Ball venceu Lorde Lefford e LordeDamon Lannister. Também matou todos os filhos da Senhora Penrose, exceto os mais jovens. Ele mesmo foi morto por um arqueiro pouco antes da Batalha do Campo do Capim Vermelho.

A Batalha : 

‘’ Os dois exércitos colidiram num campo sem nome. Daemon estava imbatível naquele dia, destruindo a vanguarda do Lorde Arryn, matandoWyl Waynwood e o Cavaleiro das Nove Estrelas antes de encontrar Sor Gwayne Corbray da Guarda Real; ocorreu um grande combate entre duas espadas de aço valiriano – Blackfyre e Senhora Desespero; Daemon levou a melhor, ferindo gravemente e cegando seu oponente. Daemon fez uma pausa, para garantir que Sor Gwayne não sofresse mais ferimentos, e ordenou Presa Vermelha carregá-lo até os meistresna retaguarda.

Neste momento, Corvo de Sangue e sua companhia, os Dentes do Corvo, colocados sobre o Weeping Ridge, assegurando uma posição mais alta, cobriram a posição de Daemon com flechas. Corvo de Sangue avistou a bandeira de Daemon e matou o mais velho de seus filhos gêmeos, Aegon, sabendo que ele nunca deixaria seu filho morto no campo, e então perfurou Daemon com sete flechas, matando-o. O gêmeo mais novo, Aemon, tomou a espada Blackfyre quando seu pai caiu, e Corvo de Sangue também o matou.

Com seus líderes caídos, os rebeldes quebraram, até que Açamargo, que havia comandado o flanco no começo da batalha, conseguiu transformar a fuga num ataque ao inimigo, e pessoalmente travou um grande confronto contra Corvo de Sangue, tirando seu olho durante a luta, que só não foi maior do que aquela entre Daemon e Corbray. Neste ponto, o Príncipe Baelor Quebralanças atacou a retaguarda rebelde com uma tropa das Terras da Tempestade e Dorneses, destruindo as linhas e terminando com a batalha, enquanto Maekar liderou o resto das forças para destruir os rebeldes restantes entre eles. ‘’

Dez mil homens morreram naquele que ficaria conhecido como o Campo do Capim Vermelho, presumivelmente por todo o sangue derramado. Daemon Blackfyre e seus dois filhos gêmeos mais elhos, Aegon e Aemon, morreram na batalha, efetivamente acabando com a rebelião e confirmado o reinado de Daeron II sobre os Sete Reinos. Açamargo, entretanto, fugiu para as Cidades Livres com vários outros, incluindo 5 filhos de Daemon), e muitos outros Blackfyre continuariam a perturbar a dinastia Targaryen, até que o último deles, Maelys o Monstruoso fosse morto nosDegraus, durante a Guerra dos Reis de Nove Moedas.

A Guerra dos Reis de Nove Moedas

No último período do reinado de Aegon V, os Blackfyre ressurgiram para reclamar seu direito ao Trono de Ferro. Maelys Blackfyre que dizia ter consumido seu irmão gêmeo no útero, o que teria resultado em uma segunda cabeça saindo de seu pescoço, se aliou com outros oito homens sedentos de poder em Essos. Os membros desse grupo, o Bando dos Nove, juraram ajudar-se mutuamente para alcançarem seus objetivos.

O Bando dos Nove conquistou as Terras Disputadas e tomou o poder na Cidade Livre de Tyrosh, onde Alequo Adarys, o Língua Dourada, se tornou o governante. Depois conquistaram os Degraus, o que lhes deu uma cabeça de ponte para atacar Westeros.

Os Sete Reinos reconheceram a ameaça e enviaram uma poderosa força para remover os inimigos dos Degraus antes que a situação pudesse piorar. Vários cavaleiros se distinguiram na batalha, incluindo Brynden Tully e Barristan Selmy, sendo que este matou Maelys, dito o Monstruoso, em combate singular, extinguindo assim a linhagem masculina da Casa Blackfyre. Entretanto, só após seis anos a ameaça do Bando dos Nove deixou de existir, quando Alequo foi deposto do governo de Tyrosh. Texto sobre a rebelião do Game Of Thrones Brasil

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone
  • se possível, façam tb a resenha sobre ‘o dragão de gelo’ já que há teorias (algumas das quais acredito) que dizem que o DdeG aparecerá nas ASOIF.

    • Jefferson Nobrega

      Rodrigo,

      Só agora percebi minha falha. Li O Dragão de Gelo e não publiquei nenhuma resenha. Vou seguir sua dica. Aproveito e convido a ler as outras postagens e teorias que temos no site sobre As Crônicas de Gelo e Fogo.

      Abraço!