O Sobrenatural em “As Crônicas de Gelo e Fogo” – A Magia nos Personagens

518890-white_walkers_massacre_game_of_thrones_winter_is_coming_01

Atenção: O artigo está dividido em duas partes: A primeira contém informações até o livro A Tormenta de Espadas (quarta temporada da série) e a segunda tem spoilers liberados até o quinto livro “A Dança dos Dragões”. Portanto, se não leu os cinco livros ou apenas está assistindo à série, pode ler a primeira tranquilamente, entretanto, continuar após o aviso de spoiler é de sua inteira responsabilidade.

Depois de abordar algumas das construções de Westeros carregadas de histórias de magia, agora trarei alguns personagens que fazem jus ao gênero fantástico no qual a obra de Martin é incluída. Se você não leu o primeiro artigo da série clique aqui.

Todos sabemos o gigantesco número de personagens que há nos livros, portanto, abordarei apenas os que existem grandes evidências de seus envolvimentos com o sobrenatural.

A velha Ama

Em minha humilde opinião não existe personagem mais misterioso que a Velha Ama dos Stark’s. Ela é a contadora oficial de histórias do norte. Suas palavras geralmente passeiam entre lendas e fatos históricos. Na série ela apareceu na primeira temporada, no entanto, depois o personagem foi suprimido devido o falecimento da atriz Margaret Jhon. Já nos livros, a Velha Ama foi presa e levada para Forte do Pavor após a queda de Winterfell. De acordo com Theon, ela pode ter morrido, mas não se tem certeza sobre tal fato.

Mas, não são apenas as histórias contadas que colocam a Velha Ama como um dos seres mais sobrenaturais de Westeros. Quem é realmente essa senhora?

Não se sabe claramente. Há algumas evidências.

De acordo com o capítulo 24 de A Guerra dos Tronos, ela chegou em Winterfell para ser ama de leite de Brandon Stark tio-bisavô de Bran Stark. Esse Brandon morreu em 213 D.A com três anos, portanto, ela chegou exatamente em 210 D.A (depois de Aegon, O Conquistador).  Sabemos que ela é a mais velha dos Sete Reinos, pois quando ela chega ao norte para ser ama de leite, Aemon meistre da patrulha da noite, é apenas uma criança (vide o Cavaleiro dos Sete Reinos). Para se ter uma ideia os eventos que iniciam-se em a Guerra dos Tronos ocorreram em 298 D.A.

Todavia, mais importante que a idade é a propriedade com que ela conta as histórias. Aliás:

“… Detesto suas histórias estúpidas! (disse Bran à Velha Ama) … — Minhas histórias? Não, meu pequeno senhor, minhas, não. As histórias são, antes de mim e depois de mim, e antes de você também”. ( A Guerra dos Tronos cap. 24)

Podemos perceber em suas narrativas o profundo conhecimento que ela possui dos assuntos mesmo não sendo uma leitora e estudiosa como Meistre Ludwin, Samwell Tarly, Rodrik Harlaw ou Tyrion Lannister. Sendo ela de origem humilde, temos a sensação de que ela não apenas escutou as histórias, mas presenciou-as. São histórias esquecidas de eras atrás que ela demonstra ser a única que conhece, pois os livros com histórias do tipo estão bem escondidos ou esquecidos como os que Sam achou empoeirados na biblioteca da Patrulha.

Onde a Velha Ama obteve tanto conhecimento? Seria ela uma “Vidente Verde”, uma Filha da Floresta, uma Warg de eras ou tenha tido contato com o Corvo-de-Três-Olhos?

Para mais especulações vá par a parte com spoilers liberados.

Os Filhos da Floresta.

Eu poderia falar sobre eles, mas é muito mais emocionante ouvir Bran Stark contando a história. Ativem as legendas.

A Patrulha da Noite

Apesar de não ser uma “ordem mágica” ela esteve envolvida com os terríveis outros. A Patrulha da Noite é provavelmente a ordem mais antiga dos Sete Reinos, tendo sobrevivido à queda dos reinos dos Primeiros Homens perante a Invasão Ândala e à Guerra da Conquista. Foi fundada há mais de 8 mil anos, após um período conhecido como A Longa Noite. Sob cobertura de uma noite sem fim que durou por uma geração, os Outros invadiram, vindos das Terras de Sempre Inverno, destruindo grande parte de Westeros, até serem derrotados pela Patrulha da Noite da Batalha Pela Alvorada. Após a ameaça ter sido expulsa, a Muralha foi construída por Brandon, o Construtor, o primeiro Stark, para proteger os reinos dos homens no caso de os Outros retornarem. Durante a Era dos Heróis, foi registrado que os Filhos da Floresta dava à Patrulha 100 adagas de obsidiana todos os anos.

Ela é simplesmente fascinante! E a melhor forma de abordar sua história sem deixar escapar spoilers é vendo o vídeo narrado por ninguém menos que a linda Rose Leslie, que interpreta a Ygritte em Game of Thrones, sobre a Patrulha e o Rei da Noite.

Os Outros

Os Outros, conhecidos como Caminhantes Brancos pelos selvagens, existem ao norte da Muralha. Antes dos eventos de As Crônicas de Gelo e Fogo, os Outros não tinham, supostamente, sido vistos por muitos milhares de anos. Até agora, os Outros apareceram somente duas vezes na saga inteira, e seus propósitos permanecem desconhecidos.

De acordo com a lenda, os Outros apareceram pela primeira vez durante um inverno que durou toda uma geração e um período de escuridão conhecido como A Longa Noite. Eventualmente, eles foram derrotados, supostamente pela Patrulha da Noite, e a Muralhapode ter sido erguida como uma defesa contra eles. Em contradição, o Rei da Noite parece ter se casado com uma Caminhante Branca, mas depois que foi derrotado, não foi-se ouvido falar dos Outros, e são lembrados ao sul da Muralha como nada mais do que contos de fadas para assustar as crianças. Entretanto, o Senhor Comandante Jeor Mormont, curiosamente, em uma conversa com Tyrion Lannister, disse que os Caminhantes Brancos foram avistados por pescadores na costa próxima aAtalaialeste do Mar, com pouca preocupação. Ele não disse se foram vistos na costa norte ou sul da Muralha. Tyrion não conseguiu segurar sua língua quando os Caminhantes Brancos foram mencionados, e respondeu dizendo que os pescadores de Lannisporto frequentemente vêem sereias. A conversa, então, mudou para os movimentos dos selvagens, que era, naquele momento, mais preocupante.

A primeira aparição dos Outros na saga ocorre no prólogo do primeiro livro, matando dois patrulheiros da Patrulha da Noite. Craster dava seus filhos infantes aos Outros, e suas esposas diziam que eles se transformam em Caminhantes Brancos, embora isto ainda não tenha sido estabelecido.

Há milhares e milhares de anos, caiu um inverno que era mais frio, duro e infinito que qualquer outro na memória do homem. Chegou uma noite que durou uma geração, e tanto tremeram e morreram os reis em seus castelos como os criadores de porcos em suas cabanas. As mulheres preferiram asfixiar os filhos a vê-los passar fome, e choraram, e sentiram as lágrimas congelarem em seu rosto (…) Nessa escuridão, os Outros vieram pela primeira vez (…) Eram coisas frias, mortas, que odiavam o ferro, o fogo, o toque do sol e todas as criaturas com sangue quente nas veias. Arrasaram fortificações, cidades e reinos, derrubaram heróis e exércitos às centenas, montando seus pálidos cavalos mortos e liderando hostes de assassinados. Nem todas as espadas dos homens juntas logravam deter seu avanço, e até donzelas e bebês de peito neles não encontravam piedade. Perseguiam as donzelas através de florestas congeladas e alimentavam seus servos mortos com a carne de crianças. (…) Esses foram os tempos antes da chegada dos ândalos, e muito antes de as mulheres terem fugido das cidades do Roine através do mar estreito, e os cem reinos desses tempos eram os reinos dos Primeiros Homens, que tinham tomado essas terras dos filhos da floresta. Mas aqui e ali, nos bosques mais densos, os filhos ainda viviam em suas cidades de madeira e colinas ocas, e os rostos das árvores mantinham-se vigilantes. E assim, enquanto o frio e a morte enchiam a terra, o último herói decidiu procurar os filhos da floresta, na esperança de que sua antiga magia pudesse reconquistar aquilo que os exércitos dos homens tinham perdido. Partiu para as terras mortas com uma espada, um cavalo, um cão e uma dúzia de companheiros. Procurou durante anos, até perder a esperança de chegar algum dia a encontrar os [filhos da floresta]] em suas cidades secretas. Um por um os amigos morreram, e também o cavalo, e por fim até o cão, e sua espada congelou tanto que a lâmina se quebrou quando tentou usá-la. E os Outros cheiraram nele o sangue quente e seguiram-lhe o rastro em silêncio, perseguindo-o com matilhas de aranhas brancas, grandes como cães de caça… (Velha Ama para Bran Stark, contando os Outros. A Guerra dos Tronos, Capítulo 24, Bran).

Os Troca-Peles

São pessoas que possuem a habilidade de deixar sua mente sair de seu próprio corpo e manipular ou apenas observar outros seres, literalmente entrando em suas mentes ,podendo, dependendo da habilidade do Warg, controlar animais ou até humanos sendo está ultima de altíssima dificuldade,traumática para ambas as partes e constituindo um dilema ético e moral .É muito mais fácil para um troca-peles para fazer isso se existir um vínculo entre as duas partes.

No passado supostamente eram conhecidos diversos deles mas,com a suposta extinção dos Filhos da Floresta a mais de doze mil anos os Wargs se tornaram lendas em Westeros sendo pela grande maioria considerada conto de fadas. Mas, como sabemos não são lendas.

Troca-Peles conhecidos:

Bran Stark: Apesar de sua pouca idade, Bran é um troca-peles mais experiente do que qualquer um de seus irmãos. Isto é possivelmente devido ao seu avançado estado de consciência experimentado quando ele estava em coma depois de sua queda. Inicialmente ele só entra na mente de seu lobo gigante, Verão, durante o sono e acredita encorajado por Meistre Luwinestar tendo apenas sonhos . Uma vez que Jojen Reed chega em Winterfell e descobre o que está ocorrendo, ele começa a instruir Bran sobre como controlar suas habilidades. Desde essa altura, Bran foi capaz de entrar em seu lobo durante as horas de vigília e controlar o corpo, em vez de simplesmente experimentar tudo o que o lobo gigante faz.

Arya Stark: Enquanto viajava para Bravos, Arya experimenta sonhos de sua loba gigante, Nymeria,liderando uma alcateia e atacando alguns humanos. Isso corresponde a eventos na área onde se acredita-se que Nymeria esteja, com os lobos se tornando maiores e mais ousados.

Jon Snow: Varamyr Seis-Peles observa que Jon Snow é um troca-peles forte, mas sem treinamento e conhecimento de suas verdadeiras habilidades, ele sabia o que Jon era no momento em que ele viu o grande lobo gigante branco Fantasma ao seu lado.A capacidade de Jon manifestou-se algumas vezes, quando ele entrou em Fantasma enquanto procurava por selvagens com Qhorin Meia-Mão. Através dos olhos de Fantasma, ele espionou a horda selvagem. Quando uma águia ataca Fantasma, Jon acorda gritando.

Também há entre os selvagens Orell e Varamyr Seis-Peles

Os Bruxos de Qarth

A Guilda dos Alquimistas

Essa misteriosa ordem mistura magia e ciência nos subterrâneos de Porto Real.

Jaqen H’ghar

Jaqen H’ghar é a suposta identidade de um dos Homens Sem Rosto de Bravos, uma temida ordem composta por misteriosos assassinos com a habilidade de mudar suas aparências à vontade. A identidade de Jaqen H’ghar é a de um astuto criminoso Lorathique encontra Arya Stark em seu caminho para a Muralha. Cogita-se que ele e Syrio Forel sejam as mesmas pessoas.

Os sacerdotes de R’hllor

Uma rápida explicação sobre R’hollor nas palavras de Melisandre:

- Existem dois, Cavaleiro das Cebolas. Nem sete, nem um, nem cem ou mil. Dois! Acha que atravessei metade do mundo para colocar mais um rei frívolo em mais um trono vazio? A guerra é travada desde o começo dos tempos, e, antes de chegar ao fim, todos os homens devem escolher de que lado se encontram. De um lado está R’hllor, o Senhor da Luz, o Coração de Fogo, o Deus da Chama e da Sombra. Contra ele ergue-se o Grande Outro, cujo nome não pode ser pronunciado, o Senhor das Trevas, a Alma do Gelo, o Deus da Noite e do Terror. A Tormenta de Espadas – capítulo 25, Davos III

Há templos de R’hllor em Pentos, Braavos, Lys Selhorys, em Vilavelha e em Volantis. Já em westeros apenas dois sacerdotes levam as palavras do Senhor da Luz: Melisandre e Thoros.

O que os traz a essa categoria de magia é o fato de que após o surgimento do Cometa Vermelho, esses sacerdotes tiveram seus poderes despertados, para a surpresa deles mesmo. Vamos conhecer um pouco dos sacerdotes que aparecem nos livros:

Thoros de Myr

Thoros de Myr, um louco que raspava a cabeça e lutava com uma espada em chamas. Já antes tinha vencido lutas corpo a corpo; a espada em fogo assustava as montarias dos outros cavaleiros, mas nada assustava Thoros. A Fúria dos Reis – capítulo 38, Tyrion V

Thoros era um beberrão companheiro do Rei Robert I. Não possuia qualquer fé em seu deus vivendo assim para as festas e prostitutas.

Orava as orações e proferia os feitiços, mas também liderava ataques às cozinhas e, de tempos em tempos, encontravam garotas na minha cama. Umas garotas tão malvadas… nunca soube como elas iam parar lá. A Fúria dos Reis  – capítulo 43, Arya VIII

Mas, ainda sim ele tinha alguns dons que não passaram despercebidos e que o levaram a Westeros:

“Mas eu tinha um dom para línguas. E quando olhava as chamas, bem, de vez em quando via coisas. Mesmo assim, eu dava mais trabalho do que valia e acabaram me enviando para Porto Real, a fim de trazer a luz do Senhor ao sete vezes embrutecido Westeros. O Rei Aerys gostava tanto de fogo que pensavam que poderia ser convertido. Infelizmente, seus piromantes conheciam truques melhores dos que os meus. A Fúria dos Reis  – capítulo 43, Arya VIII

No entanto, após a morte de seu amigo Beric Dondarrion Thoros descobriu ter o poder do “beijo da ressurreição” e sua fé foi restaurada.

Melisandre de Ashai

Melisandre é uma Sacerdotisa Vermelha, que chegou a Westeros para ajudar Stannis Baratheon classificando-o como Azor Ahai renascido. Desde o inicio ela já demonstrava alguns poderes, como as visões nas chamas e a manipulação de sombras. No entanto, a medida que a história vem evoluindo ela tem ficado mais poderosa.

Mais, detalhes e mais sacerdotes de R’Hollor na parte com spoilers.

Então o que acharam? Esqueci alguém?

Além dos livros esse artigo teve como base de pesquisa o Game of  Thrones Wiki e as teorias malucas do Drunkwookie

Agora passaremos para a parte com spoilers!!

SPOILERS

Agora vem a parte boa! Se você não leu os cinco livros saia daqui imediatamente! A responsabilidade é sua!

Aqui falarei sobre alguns trechos com spoilers liberados até A Dança dos Dragões.

Velha Ama 

Estando lá nessa época (210 DA) provavelmente ela conheceu Sor Ducan, O Alto. Bran, na casca do represeiro de Winterfell narra o possível encontro entre os dois:

“Depois apareceu uma moça de cabelo castanho, esguia como uma lança, que se pôs nas pontas dos pés para beijar os lábios de um jovem cavaleiro tão alto como Hodor.”

Isso colocaria Sor Duncan como bisavô de Hodor! Mas, isso é papo para outra hora.

Em A Dança dos Dragões no capítulo 13 de Bran há um trecho importantíssimo do Corvo-de-três-olhos para Bran:

— Tenho sido muitas coisas, Bran. Agora sou como você me vê, e agora entenderá por que eu não podia ir até você… exceto em sonhos. Observo-o há muito tempo, observei-o com mil olhos e com um. Vi você nascer, e o senhor seu pai antes de você. Vi seus primeiros passos, ouvi sua primeira palavra, fiz parte do teu primeiro sonho. Estava observando quando caiu. E agora finalmente você veio até mim, Brandon Stark, embora a hora seja tardia. A Dança dos Dragões – capítulo 13, Bran II.

A Velha Ama presenciou tudo isso, teria sido através dos olhos dela que a vida de Brandon foi acompanhada?

Perguntas e perguntas é o que torna ela a personagem mais enigmática da série!

Melisandre Ashai

A medida que a história vem evoluindo ela tem ficado mais poderosa. Ao chegar na muralha ela adquiriu um poder que deixou-a impressionada, talvez pela influência mágica da muralha.

Os meus feitiços devem bastar. Era mais forte na Muralha, mais forte mesmo do que em Asshai. Todas as suas palavras e gestos eram mais potentes, e conseguia fazer coisas que nunca antes tinha feito. As sombras que gerarei aqui serão terríveis, e nenhuma criatura das trevas lhes resistirá. Com tais feitiçarias sob o seu domínio, poderia deixar em breve de ter necessidade dos débeis truques dos alquimistas e piromantes. A Dança dos Dragões – capítulo 31, Melisandre I

Chegou inclusive a transformar Mance Ryder em Camisa de Chocalho:

Jon Snow virou-se para Melisandre.
— Que feitiçaria é esta?
— Chame isso do que quiser. Encantamento, aparência, ilusão. R’hllor é Senhor da Luz, Jon Snow, e é concedida aos seus servos a capacidade de tecer com ela, como outros tecem com fio.  A Dança dos Dragões – capítulo 31, Melisandre

Benerro

Benerro é o Alto Sacerdote de R´hllor no templo situado em Volantis que prega em praça pública.

Benerro brandiu um dedo à Lua, fez um punho, abriu muito as mãos. Quando a sua voz se ergueu num crescendo, chamas saltaram dos seus dedos com um súbito uoosh que fez a multidão prender a respiração. O sacerdote também era capaz de desenhar letras de fogo no céu. Glifos valirianos. Tyrion reconheceu talvez dois em dez. Um era Perdição, o outro Escuridão. A Dança dos Dragões – capitulo 27, Tyrion VII

Mqorro

Moqorro é um sacerdote escolhido por Benerro para levar R’hllor à Daenerys. Ele seguiu com Tyrion e Jorah Mormont no Senescal Perfumado, mas após uma grande tempestade o feiticeiro vermelho foi jogado ao mar e encontrado por homens de Victarion. Onde acabou ganhando o respeito do pirata Grejoy.

Arquimeistre Marwyn

É no Festim dos Corvos que somos apresentados:

“…Marwyn se parecia mais com um cão de guarda do que com um meistre. É como se quisesse nos morder. O Mago não era como os outros meistres. Diziam que se fazia acompanhar de prostitutas e de feiticeiros andantes, que  falava com ibbeneses peludos e ilhéus do Verão negros como breu na própria língua desses povos, e fazia sacrifícios a deuses estranhos nos pequenos templos dos marinheiros que se erguiam junto aos cais. Os homens falavam que o tinham visto na parte erma da cidade, em arenas de ratazanas e bordéis negros, na companhia de saltimbancos,  cantores,  mercenários  e  até pedintes. Alguns chegavam mesmo a sussurrar que certa vez ele matara um homem com os punhos. Quando Marwyn regressou a Vilavelha, depois de passar oito anos no leste mapeando terras distantes, em busca de livros perdidos e aprendendo com feiticeiros e umbromantes, Vinagre Vaellyn apelidara-o de “Marwyn, o Mago”. O nome espalhara-se rapidamente por toda Vilavelha, para grande aborrecimento de Vaellyn. – Deixe os feitiços e as preces para os sacerdotes e os septões, e direcione a inteligência para a aprendizagem de verdades em que um homem possa confiar”,  aconselhara Arquimeistre Ryam certa vez a Pate, mas o anel, o bastão e a máscara de Ryam eram de ouro amarelo, e sua corrente de meistre não incluía um elo de aço valiriano.”

É chamado de mago, profundo conhecedor da magia que tem velas obsidianas em seus aposentos. O mais interessante é que ele sugere que há uma conspiração de Meistres para destruir a magia, ele diz para Sam:

–  Se eu lhe disser, podem ter de matar você também  – Marwyn abriu um horrendo sorriso com o sumo da folhamarga escorrendo, rubro, entre os dentes. – Quem você acha que matou todos os dragões da última vez? Galantes matadores de dragões armados de espadas?  –  cuspiu. – O mundo que a Cidadela está construindo não tem lugar para feitiçaria, profecias ou velas de vidro, e muito menos para dragões. Pergunte a si mesmo por que foi deixado que Aemon Targaryen desperdiçasse a vida na Muralha, quando, por direito próprio, devia ter sido promovido a arquimeistre. O motivo foi seu  sangue. Não podiam confiar nele. Assim como não podem confiar em mim. (O Festim dos Corvos).

Marwyn também parte em busca de Daenerys Targaryen.

Então o que acharam? Esqueci alguém?

Além dos livros esse artigo teve como base de pesquisa o Game of  Thrones Wiki e as teorias malucas do Drunkwookie

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone