O sobrenatural em “As Crônicas de Gelo e Fogo” – A Magia está na pedra

Others

Aviso: Apesar de algumas citações esse é um artigo livre de spoiler’s. Mesmo citando nomes que quem não leu os cinco livros não saberão quem são, não faço reveleções sobre os acontecimentos vindouros.

“… a feitiçaria é uma espada sem cabo. Não há maneira segura de pegar nela.” (Dalla a Jon Snow. A Tormenta de Espadas)

Em Portugal o livro “A Fúria dos Reis“, segundo da série foi dividido em dois e, é interessante notar que um dos títulos dos livros foi “O Despertar da Magia“, que no Brasil nunca chegou, já que aqui foi publicado em volume único. No entanto, esse título é interessante principalmente tratando-se desse mundo, onde a magia é semelhante a uma névoa que espalha-se por todo o Westeros de forma silenciosa.

É fato que a obra de George R.R Martin trouxe ao universo fantástico muitas pessoas que desdenhavam desse gênero literário justamente pela presença da magia. Entretanto, o sobrenatural é algo presente apesar de acabar sendo ofuscado por toda a trama política. Em sua sabedoria, Martin tem incluído o elemento mágico aos poucos.

Já no prólogo de A Guerra dos Tronos nos deparamos com a Patrulha da Noite que carrega mistério até no nome. Um grupo formado na Longa Noite que protege o reino atrás de uma gigantesca muralha erguida por Bran, O Construtor, fundador da Casa Stark, com gelo e magia dos Filhos da Floresta. Os patrulheiro acabam se encontrando com os Caminhantes Brancos “Demônios feitos de neve, gelo e frio…” diz Stannis Baratheon em A Tormenta de Espadas.

Percebem como a magia inegavelmente está  presente desde as primeiras linhas? O desenrolar da história acaba ocultando um pouco isso, entretanto, George R.R Martin aos poucos vai aguçando cada vez mais o sobrenatural de Westeros.

Abordarei os elementos sobrenaturais contidos nessa magnífica obra e, para não ficar um artigo muito longo, irei dividi-lo nas seguintes partes: A Magia está na Pedra, A Magia nos Personagens, A Magia na terra e na história, e por fim, Os Lugares Assombrados e Amaldiçoados de Westeros.

A magia está na pedra

Se tem algo que me fascina nesse universo é a presença de construções repletas de histórias e mistérios. Vamos conhecê-las:

O Punho dos Primeiros Homens

Punho dos Primeiros Homens é um antigo forte anelar construído pelos Primeiros Homens na Era da Aurora. Localiza-se próximo do rio Guadeleite. Fica ao norte da Muralha. Ele é um monte que se ergue acima da floresta em sua volta. O monte tem uma posição dominante, com as vertentes norte e oeste formando precipícios, os quais são um pouco mais suaves para leste. O local em si já nos leva a uma imagem sobrenatural, mas com a presença dos outros em todo o norte, eis um bom lugar para começarmos a falar sobre o assunto.

A Muralha

A Muralha, supostamente, foi criada a mais de oito mil anos antes dos tempos atuais por Brandon, o Construtor, após a Longa Noite, para defender os reinos dos homens dos selvagens e dos Outros. Com aproximadamente quinhentos quilômetros de comprimento, e duzentos metros de altura, a Muralha e protegida pela Patrulha da Noite e, segundo alguns, por antigos feitiços e magia com ajuda dos filhos das Florestas.

Há uma magia poderosa que a envolve, um exemplo disso é que o misterioso Mãos-frias afirma não poder passar por essa barreira.

Winterfell

Reza a lenda que foi construído por Brandon, o Construtor, há mais de 8 mil anos, com a ajuda de gigantes. É a capital do Norte e lar dos Stark’s.

Possui dois lugares magníficos no quesito fantástico um deles é o Bosque Sagrado, um local que permanece intocado há mais de dez mil anos, com três acres de terra antiga e árvores crescendo muito juntas, criando um conjunto denso de copas, ao entorno do qual foi construído o castelo. No centro do bosque se encontra um antigo represeirocom uma face entalhada, à frente de um pequeno lago de água negra. Do outro lado do bosque, embaixo das janelas da Casa de Hóspedes, termas subterrâneas são fonte de três pequenas piscinas, com musgo cobrindo as paredes sobre elas. O bosque é cercado por muros, e pode ser acessado por um portão principal de ferro, ou outros menores de madeira.

Fosso Cailin

Se diz que o Fosso Cailin foi construído a aproximadamente dez mil anos atrás, pelos Primeiros Homens. Uma grande fortaleza, com vinte torres e grandes muralhas de basalto tão altas quanto as de Winterfell. É usado como defesa-chave do norte, pelo qual os exércitos Ândalos tentaram passar repetidamente, sem sucesso. Hoje, só blocos de basalto negro ficam espalhados, metade afundada no chão, onde as muralhas uma vez ficaram. A fortaleza de madeira em seu centro apodrecera há mil anos, e as três torres remanescentes das vinte estão verdes de musgo. 

De acordo com o mito, os Filhos da Floresta tentaram usar o Fosso Cailin para segurar a invasão dos Primeiros Homens e quando está tática falhou, por causa dos números superiores dos humanos, por meio de poderosas magias na “Torre dos Filhos”, eles tentaram destruir o Gargalo e separar completamente o Norte do Sul, do mesmo jeito que eles destruíram o Braço de Dorne séculos antes. Entretanto, os Filhos falharam, e conseguiram somente inundá-lo, criando charcos e pântanos. Porém, o cataclismo provou o tamanho de seus poderes, e se provou determinante em levar os Primeiros Homens a aceitarem os termos do Pacto, que terminou com as hostilidades entre as duas raças.

Pedra do Dragão

Pedra do Dragão foi construída usando técnicas valirianas avançadas de construção (repletas de magia), já perdidas há muito tempo na Perdição, fazendo com que seja única entre os castelos de Westeros. A cidadela de Pedra do Dragão é toda construída de pedra negra, com suas torres esculpidas na forma de dragões, e com milhares de gárgulas em diversas formas servindo como ameias sobre as muralhas. O desenho do castelo é extremamente inspirado em por dragões: pequenos dragões formam portões, e garras de dragão seguram tochas nas paredes. Um par de grandes asas cobrem o arsenal e a forja, e caudas formam arcadas e escadarias.

Ponta Tempestade

As canções diziam que o castelo de Ponta Tempestade tinha sido erquido nos tempos antigos por Durran, o primeiro Rei da Tempestade, que conquistara o amor da bela Eleinei, filha do deus do mar e da deusa do vento. Na noite de seu casamento, Elenei entregara a virgindade a um amor mortal, e assim condenara-se a uma morte de mortal, e os desgostosos pais tinham libertado sua ira mandando os ventos e águas para demolir a fortaleza de Durran. Os amigos, irmãos e convidados do casamento foram esmagados sob as muralhas que desmoronavam ou atirados ao mar, mas Elenei abrigou Durran em seus braços, ele não se feriu, e quando por fim a alvorada chegou, ele declarou guerra aos deuses e jurou reconstruir Ponta Tempestade.
Construiu mais cinco castelos, cada um maior e mais forte que o anterior, só para vê-los esmagados quando os ventos de temporal subiam, uivando, a Baía dos Naufrágios, conduzindo à sua frente grandes muralhas de água.Seus senhores suplicaram-lhe que construísse no interior; os sacerdotes disseram-lhe que tinha de aplacar os deuses devolvendo Elenei ao mar; até o povo lhe pediu para ceder. Durran não quis escutá-los. E ergueu um sétimo castelo, o mais maciço de todos. Uns diziam que os filhos da floresta o ajudaram a construí-lo, dando forma às pedras com magia; outros afirmavam que um garotinho lhe tinha dito o que fazer, um garoto que cresceria para se tornar Bran, o Construtor. Independentemente de como a história era contada, o fim era igual. Embora os irados deuses atirassem tempestade atrás de tempestade contra o sétimo castelo, ele se manteve firme e desafiador, e Durran Desgosto-Divino e a bela Elenei habitaram-no juntos até o fim de seus dias.
.
O que acharam? Esqueci algum? Procurei colocar aqui unicamente os locais em que há evidência do uso da magia na construção, apesar de ser apenas lendas. Eu poderia ter, por exemplo, incluído Harrenhal, no entanto, preferi incluí-lo no rol dos locais assombrados. Mas, é claro algum detalhe pode ter escapado aos meus olhos.

No próximo artigo falarei sobre alguns personagens com ligações  com o sobrenatural.

Valar Dohaeris!

 

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone