Para rir menos e refletir mais.

ted2-editado

Em 2012, um ursinho totalmente anárquico e incorreto faz muito sucesso nos cinemas. Ted, encantou e fez rir, menos um delegado desinformado que tentou tirar o filme de cartaz no Brasil, depois de uma sessão em companhia de seu filho semi adolescente. O pobre delegado, se deixou levar pela cara simpática do urso Ted e saiu da sessão totalmente ofendido. Ted não é, e nunca foi para crianças, o bicho de pelúcia transa, xinga, fuma maconha, briga e tudo mais o que manda a cartilha do politicamente incorreto, e a graça estava justamente nisso. Eu ri muito com Ted. Agora, chega aos cinemas a continuação ou simplesmente Ted 2.

Ted está casado e seu amigo John se separou (po***! Não pagaram o cachê da deliciosa Mila Kunis, que sacanagem!). Com o amigo na fossa e o casamento em declínio, Ted tenta de todas as formas ter um filho, inseminação artificial, sêmen do Tom Brady e por fim adoção, nada da certo. Para piorar, Ted descobre que o governo não o considera uma pessoa e logo perde todos os seus direitos civis.

Uma coisa que eu admiro nesses estadunidenses é a capacidade de rirem de si mesmos, uma pá de gente famosa aparece na tela simplesmente para serem ridicularizadase Seth Macfarlane continua disparando sua metralhadora de cultura pop e referências ácidas. As piadas pop são tantas que algumas são incompreensíveis para o pública fora dos EUA, isso dificulta um pouco o entendimento. Outro problema é que o diretor não encontra o equilíbrio entre o assunto sério, direitos civis e a zona incorreta das piadas e tiradas dos protagonistas. Entre os erros e acertos, Ted 2 acaba se tornando um filme para rir menos e refletir mais, o que não é bem o interesse de quem se dispõe a assistir uma sessão de um filme de um urso falante e totalmente incorreto. Uma pena.

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone