O túmulo dos vaga-lumes

o-tumulo-dos-vaga-lumes-capa-1-kalangoatomico

“Why must fireflies die so young?”

o-tumulo-dos-vaga-lumes-inside-kalangoatomico

Será que sabemos o nível de destruição que uma guerra pode trazer? Destruição não só material, mas do próprio ser? Já assisti a muitos filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, principalmente a visão ocidental do evento. Mas a pouco tempo (na verdade, escrevo essa pequena resenha logo após assistir o filme) descobri uma animação japonesa de 1988 chamada Hotaru no Haka, que chegou ao nosso país como O Túmulo dos Vaga-Lumes. Essa foi uma das primeiras obras do estúdio Ghibli, fundado pelos mestres Isao Takahata e Hayao Miyazaki. Uma belíssima obra-prima em forma de animação. O filme relata a história de dois irmãos, Seita e Setsuko, no período da Segunda Guerra Mundial no Japão. O pai deles é convocado a defender o país na guerra, pois faz parte da marinha japonesa, e a mãe falece em um bombardeio de aviões norte-americanos.

o-tumulo-dos-vaga-lumes-capa-dvd-kalangoatomico

A partir daí, o filme mostra a luta pela sobrevivência das duas crianças, em meio à pobreza e miséria que assola o país. Fome, doenças e a falta de generosidade e sensibilidade dos adultos faz deste percurso um dos filmes mais bonitos e comoventes sobre o trágico quadro gerado pela guerra. O irmão mais velho, Setsuko, dá uma verdadeira aula de amor fraterno, cuidando da irmã em todos os momentos. Assistindo a emocionante história desses dois irmãos, me lembrei em muitos momentos do filme italiano A vida é bela, de Roberto Benigni. A dinâmica de relacionamento entre os dois irmãos da animação japonesa é muito parecida com a de Guido e seu filho, apesar do desenrolar da história ser diferente.

o-tumulo-dos-vaga-lumes-inside-2-kalangoatomico

Não é uma animação para crianças. É para todos nós refletirmos sobre os horrores do confronto humano. Das atrocidades que a indiferença, o ódio e o egoísmo podem provocar. Um dos filmes mais belos e comoventes que tive o prazer de assistir. O filme é triste? Sim, mas é necessário, para não esquecermos do que nós, seres humanos, somos capazes de fazer. Tanto para o bem, quanto para o mal. Um filme sobre a morte e suas consequências.

Então tá aí. Recomendo, pra quem deseja conhecer um pouco mais da animação japonesa, a assistir essa pequena obra-prima. Tenho certeza que vocês não vão se arrepender.

E aí, o que acharam? Deixe seu comentário.

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone