Distante da própria casa.

OMG_Mulher_Invis_vel_voa_em_novo_trailer_Quarteto_Fant_stico

Houve um tempo em que única Marvel que existia era a dos Quadrinhos. Essa saiu atrás de sua grande rival, a DC comics, no processo de licenciar seus personagens para o cinema. Assim, Super-Homem e Batman foram os primeiros sucessos de adaptações advindas das HQs. Para correr atrás do prejuízo, a Marvel passou a licenciar seus produtos para alguns estúdios cinematográficos. A Fox abocanhou X-Men, Demolidor, Quarteto fantástico e Elektra. A Sony levou o Homem-Aranha, O justiceiro e Motoqueiro fantasma. A Warner ficou com Blade. Hoje, existe a Marvel Studios, que pertence aos poderosos estúdios Disney e se tornou a maior referência em adaptações dos quadrinhos para o cinema. O sucesso desta ideia foi e é tão grande, que nasceu o Universo Cinematográfico Marvel e aos poucos o estúdio tem buscado reaver os direitos cinematográficos sobre seus personagens. Porém, o novo Quarteto Fantástico continua nas mãos dos estúdios Fox, assim como a versão de 2005.

Essa é a segunda adaptação para o cinema (na verdade existe uma produção dos anos 90 que nunca foi lançada) da história de 5 pessoas que tem seu DNA modificado depois de uma viagem espacial, nesse filme as viagens passam a ser para outras dimensões. Assim, Reed Richards (Homem-Elástico), Susan Storm (Mulher-Invisível), Johnny Storm (Tocha-Humana), Ben Grimm (Coisa) e Victor Von Doom (Dr. Destino) ganham seus poderes. Os quatro primeiros serão os heróis e o Von Doom é o vilão.

A primeira impressão que tive ao final do filme foi: 120 milhões de dólares, hoje em dia, não garantem mas uma produção de primeira linha. Fica claro que faltou recursos para aprimorar os efeitos e alongar a duração. Obviamente nada é de péssima qualidade, porém está aquém das últimas adaptações da Marvel, principalmente as comandadas pela própria Marvel. Outro enorme problema é justamente o fato da adaptação pertencer a Fox e não a Marvel, o objetivo de ambas é lucro, mas a Marvel precisa preservar a qualidade de seus produtos, o que acaba garantindo uma produção sem tantos problemas nos bastidores e que elevam a qualidade final do filme. O elenco está apenas razoável ninguém se destaca, nem mesmo o excelente Miles Teller, o roteiro beira ao banal e se em adaptações do tipo Os Vingadores o excesso de cenas de ação cansam, aqui é justamente a falta delas que chamam a atenção, afinal pelo menos duas boas cenas eram necessárias em um filme de Super-Heróis. O resultado final é apenas razoável e fica a torcida que a Marvel retome logo toda sua trupe, já que ficar longe de casa tem feito mal aos personagens e adaptações como Os guardiões da galáxia e O Homem-Formiga, foram bons exemplos que o estúdio trabalha ainda melhor fora do universo dos Vingadores.

Compartilhe ...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Google+Email this to someone